quinta-feira, 30 de maio de 2013

Seara





Seara


Um sol escaldante
em minha boca
silaba teu nome...

Meu corpo
um cálice tinto
nu queima
tece desejos
e se agita na seda
alva dos lençóis

Feito um braseiro
aceso transborda
arde de vontades

Meu corpo
é uma seara farta
de desejos
ansiando por suas
mãos ardentes


Van Albuquerque

Confabulando




Confabulando


O silêncio me desnuda...

Em silêncio
lê o avesso de mim
Afaga nervuras
aquieta sentimentos
cala minha alma

Vasto confabula
Paciente fala fundo
premeia palavras
nos recantos
do meu coração


Van Albuquerque

Espelho d’água




Espelho d’água


No papel brota
um espelho d’água...
Entrelinhas cristalinas
encharcadas de palavras
transbordam versos
tenros de amor


Van Albuquerque

Verso mudo




Verso mudo

Sou palavras vagando
num verso mudo
Sou silêncio inconfesso
no vão das reticências
se desnudando...
Confessando meus segredos
nas entrelinhas da poesia


Van Albuquerque

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Mosaico




Mosaico


Minha alma 
junta pedaços de nós...

Nua
ás escondidas
borda palavras
Em meus lábios
fala teu nome...

Rouca
tece no escuro
um mosaico
de lembranças...

Dentro do meu coração
soluça saudades
e escreve-lhe 
mais um poema
de amor...

Van Albuquerque

Ardendo...




Ardendo...

Minha boca 
cheia d’água
arde um deserto...
Ofega gemidos
Saliva a saudade
do teu corpo
fecundando o meu...



Van Albuquerque

Gotas de desejos




Gotas de desejos


Meu corpo desnudo
anseia inquieto
pelo calor do teu...
Minha pele
arrepiada transpira
gotas cristalinas
de desejos!...

Van Albuquerque

sábado, 25 de maio de 2013






Amanheceu
um dia claro de aromas
...Não sei de ti
Sei da solidão ofegando
pelos cantos de mim

Van Albuquerque

PoesiaMar





PoesiaMar

Minha boca espia a tua

As palavras ardem
a poesia ofega ...

Rouca afaga teus lábios
encontra tua saliva
ondeia e dissolve-se nua
num mar de versos
inundando-te de mim

Van Albuquerque

Foram tantas coisas...






Foram tantas coisas...

Os dias passaram
feito um rio
emendado ao silêncio...
A poesia emudeceu
e o tempo respirou
um rascunho de tudo
Tempo tão curto
Sem sol
Sem lua...
Não deu tempo
de  ler  todos os segredos
escondidos nos caminhos.

Van Albuquerque

Fio





Fio

Tenho a polpa
rósea dos lábios
ainda entreabertas
E um fio
denso do seu beijo
escorre e acaricia
minha boca

Van Albuquerque


quarta-feira, 22 de maio de 2013

Insaciável




 Insaciável

Meu olhar te visita
veste seu corpo
com os desejos
que minhas mãos
insaciáveis escrevem



Van Albuquerque

Seu sonho




Seu sonho...


O seu desejo em ter-me
te consome...
No cio, em delírio
você me deseja, comigo sonha...


Como um gole de vinho
acariciante, beijo teus lábios
Com prazer, você me aprecia
engole avidamente...
Desço lentamente
por sua garganta...
Êxtase, desejo queimando...
Percorrendo caminhos


O prazer toma conta
explode lentamente
você sente que de prazer
eu quase te afogo...


Continuo percorrendo
com suavidade, cada espaço
rasgando a sua vontade
o desejo em possuir-me...


Tomo conta da sua razão
sou sua obsessão
você a minha...
Possui-me...Faz-me tua!

Van Albuquerque