sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Silêncio





Silêncio

Minhas mãos 
em concha
bebem da sua voz...
Respiram em silêncio.
Minha boca
tonta de amor
anda pelos cantos
nus das estrofes
acarinhando seus versos.

Van Albuquerque

Nenhum comentário: