quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Lume




Lume

Na penumbra
tuas mãos sôfregas
palmilham sulcos
roçam vãos ...

Lume aceso
sem pontos 
vírgulas
reticências...
Em brasa arde 
escorre macio
e o verso lateja febril...

Tuas carícias
Palavras todas
inconfessáveis pétalas
florescem roucas de vontades 
e misturam-se ao sal 
da minha pele 

O desejo umedece
Despe
Veste de malícia
cada poro nu...

Van Albuquerque

Nenhum comentário: