quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Calei-me






Calei-me

Tua ausência 
encharca minha alma
e seca o cântaro 
das palavras todas

Um deserto árido 
de salivas e aromas
engasga-me...
Rasga minha pele
e o verso sangra
no eco do teu silêncio 

Sedenta 
a poesia fenece
dentro de mim.

Van  Albuquerque

Nenhum comentário: