domingo, 28 de março de 2010

Uma noite qualquer



Uma noite qualquer


Carente e sem afeto
Imagino coisas
Ouço sua voz rouca
sussurrando no meu ouvido
Teu perfume doce
Invade o ambiente
Inebriando minha’lma
Suas mãos macias
Provocando arrepios
Eriçando meu corpo
Descobrindo caminhos
Minha pele exala o elixir
Do amor,
Do desejo
Da paixão
vermelho, adocicado
com sabor do pecado
movido pela imaginação.
Sinto calafrios
Suor escorre pelo meu corpo
Procuro no ar
seus lábios carnudos
Sua língua
Sua boca suculenta
Sinto a urgência do beijo profundo
Fecundando minhas vontades
Nessa viagem insone e sem volta
Querendo morrer/viver de amor
Sou todo delírios
Num momento insano
E louco
Um amante apaixonado
Com fome
Com sede
Que acordado sonha com Você

(S. Noah – Van Albuquerque)
23/02/10

Nenhum comentário: