quarta-feira, 17 de março de 2010

Teus olhos


Teus olhos


No cais noturno do céu
o vento sacode a noite
nossos corpos a latejar
saltam a madrugada
teus olhos vivos
é o guia que apruma
meu desvario
a poesia que paira
e ilumina o silêncio
dos olhos meus

(Van Albuquerque)
25/01/10


Nenhum comentário: