quarta-feira, 17 de março de 2010

Saudade


Saudade


Hoje acordei solidão
dormitando em meu mar azul
salgado de cetim

Abri a janela do tempo
lá fora um céu acinzentado
saudade anuviando meu olhar
sem rumo a navegar
grita teu nome
com fome
com sede de ti
infinda arde
queima um deserto
se derrama toda em mim

(Van Albuquerque)
24/01/10

Nenhum comentário: