segunda-feira, 8 de março de 2010

Nosso amor de ontem




Nosso amor de ontem


Sem tempo
nasceu antes do tempo
inconfesso segredo
atravessou as noites
pulou as madrugadas

Sem gosto de hoje
nublou manhãs ensolaradas
sem sabor de amanhã
feito um terremoto passou

Em nossa boca deixou
um apetite voraz
um vazio
a vontade de um amor
mal resolvido
a dor aberta sangrando
a ausência sutil
da poesia pincelando
amor no olhar

(Van Albuquerque)
13/01/10

Nenhum comentário: