quarta-feira, 17 de março de 2010

Deixa-me te amar


Deixa-me te amar



No afago da polpa
dos meus dedos
na quietude suave
das palavras de amor
escritas no poema
na calmaria singela
dessa solidão
que mora cá dentro
de mim

(Van Albuquerque)
22/01/10

Nenhum comentário: