domingo, 20 de dezembro de 2009

Longe de mim


Longe de mim



Do meu canto
sinto teu olhar
atrás da porta
com vontade
a me espreitar

Teus lábios úmidos
ensaiam palavras
sorvem malícias
sorriem de canto
sem jeito se ajeitam

Pressinto carícias
menino homem
longe de mim
escurece o olhar
confuso se esconde
a me desejar

(Van Albuquerque)
20/12/09

Um comentário:

Helô Müller disse...

Como eu meu perco em seus versos... ( ou melhor, me acho na luxúria! rs)

Van querida!
Te desejo um Natal regado a muito amor, junto aos teus entes mais queridos!
Ah... e que não falte, é claro, um peru bem gordo em sua ceia Natalina, Amém! rs
Beijos doces!

Oh Oh Oh ...
Helô Noela!!