sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Insone


Insone

Na noite morna
insone vaguei por aí
num diálogo mudo
ardendo púrpura em sonhos
afago desejos sem te ver

(Van Albuquerque)
19/11/09

Teu amor


Teu amor


Amor feito de palavras
enfeitiçou minha alma
desencantou e se foi

Amor que só eu vivi

(Van Albuquerque)
18/11/09

Coração poeta


Coração poeta


Não diga que deixarás
tuas palavras
“em um canto qualquer”
amadurecendo...

Teu coração poeta
é um paraíso ladeado
com versos e rimas
onde pé ante pé
silenciosamente passeio
sonho e deleito-me
com seu versejar

Poeta...
Quando tu junta palavras
descortinas o teu olhar
desnudas o melhor de ti
presenteia-me com poesia

Tuas palavras teus versos
levarei sempre comigo
enleadas cá dentro
do meu coração

(Van Albuquerque)
18/11/09


Poema dedicado ao poeta e amigo Brain



Mar


Mar

Saudade de ti é mar
marulhando ondas
em meu olhar

(Van Albuquerque)
17/11/09

Fuga de mim



Fuga de mim


Ontem as palavras
fugiram de mim

Um silêncio tênue
tomou conta
impiedoso se alastrou

Anoiteci sem letras
vaguei e adormeci
encolhida num canto
esmaecido da folha
amarrotado do papel

Hoje amanheci
mudança de tempo
chuva de poesia
perfume úmido
de primavera
impregnado ao sabor
quente de verão

(Van Albuquerque)
16/11/09

_Beco da Navalha_


_ Beco da Navalha _


Gueto
Morro Vila
Favela
Beco da Navalha
Esgoto ao Céu Aberto
Drogas Riqueza
Drogas Poder
Drogas Moeda Forte,
Ela Tinha Apenas Poucos Anos
Não Sabia o Que Era Sonhos
Poesia Era Supérfluo
O Corpo Tinha Era Fome
de Comida
Dignidade
Família
Esperança,
Era Fome Tamanha...

No canto dos olhos
lágrima é vertente
lava a face pálida
angústia dobra
a esquina do tempo
esperança pede colo
sem rumo perde-se
no burburinho turvo
intermitente da vida
Dignidade na alma
se fez dor aflorada
na pele machucada
busca incessante
que a realidade devora
sonhos que se apagam
antes do despertar
café da manhã
sem família reunida é fome
de querer se fazer melhor
sem saber ser...

Era Mais Uma Entre Tantas a Morrer
Sem Sonhar Sonhos,
Com Fome...


_ Maxuel Scorpiano & Van Albuquerque _
09/11/09

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Refugio


Refugio


A poesia implícita
em mim calou-se
Silenciosa inundou
tua boca e refugiou-se
no último beijo
Gostou de morar
dentro de ti

(Van Albuquerque)
09/11/09

Menino poeta


Menino poeta


Toda vez que leio você
o relógio parece andar mais rápido
Amanhece entardece e anoitece
tudo num só tempo
No tempo encantado da poesia
da beleza das palavras
que toca o meu coração

Você caminha suavemente
nas areias finas do papel
junta letras semeia palavras
e teus versos chegam
como o sol
rasgando o amanhecer
acalentando corações

E eu vejo
que o menino poeta
de alma sensível
encantou-se com a formosura
da poesia e cresceu
Hoje verseja solto
e feliz passeia pelo mundo
fascinante da escrita

(Van Albuquerque)
07/11/09

Texto dedicado com carinho ao amigo e poeta Nill.

Solidão


Solidão


Finda o dia
anoitecer fita em silêncio
os olhos molhados
doloridos de saudades

Mãos de fada
tecem nas asas do vento
fios dourados
entrelaçados de lembranças

Dedos leves
bordam com paciência
desabrochar lento da tristeza
no coração

(Van Albuquerque)
06/11/09



Teu olhar


Teu olhar


Na alva manhã
teu olhar de poesia
intenso me acolhe
despe minha alma
colhe meus sonhos

(Van Albuquerque)
06/11/09

Entrega


Entrega


De longe ouço
tua voz macia
me chamando
para um canto
morno de ti

Carinhoso teu amor
me abraça
nesse aconchego
entrego-me toda
ao teu amor por mim

(Van Albuquerque)
05/11/09

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sinto





Sinto


Sem tempo
deliro no tempo
me perco no sol
misturo-me a chuva

Sinto o teu calor
chegar com a brisa
teu cheiro agridoce
impregnado de amor
roçando minha pele

Teu beijo úmido
de desejos
afagando minha boca

Sinto-me nua
me sinto tua
e você tão meu

(Van Albuquerque)
04/11/09

Jardim de sonhos





Jardim de sonhos



No jardim de poesias
uma plantação de sonhos
tenro deságua

Pela fonte cristalina
flores germinam
brotam desejos

Sentimentos coloridos
aveludam-se ao sol

Revoada de cores
pássaros pincelam o céu
borboletas esvoaçam
suas asas coloridas

Numa ruela silenciosa
desencontro de caminhos
o vento sopra frio
acaricia flores sem cor

Um olhar tristeAdicionar imagem
saliva lembranças
saudade exala sabor
tem gosto doce de amor

(Van Albuquerque)
03/11/09

Ternura


Ternura



Um luar esguio escondeu
o sol no infinito do céu

A noite chegou mais cedo
silenciosa adormeceu no jardim
o perfume doce da primavera
exala no ar o cheiro da tua pele

Lá longe meu olhar terno
se veste de poesia roça o céu
acende as estrelas e caminha
de encontro ao seu

Adicionar imagem
(Van Albuquerque)
03/11/09

Poeta menino





Poeta menino


Na alma sensível
desmedido talento
com as palavras
tu faz alquimia
tece poesia
Teus versos
nos acariciam
todos os dias

(Van Albuquerque)
31/11/09

Obrigada Maxuel
por você ser assim do jeitinho que és
um poeta menino a nos encantar

Parabéns pelo seu aniversário
que Deus continue te abençoando
felicidades sempre!

Encontro de bocas


Encontro de nossas bocas


Hoje amanheci
divagando o amor

Na boca
um salivar doce
sôfrego
de amor sem fim.

... Da Fome Voraz da Paixão
da Sede de Sua Boca
Na Conjunção do Poema
Dos Beijos ( Nossos )
No Encontro de Nossas Bocas
Sonhos...

Desejos escorrem
feito fogo queimam a pele

Nossos corpos extasiados
cobrem o silêncio
da volúpia incontida
descrita na estrofe indelével
do poema

E Corre o Dia
Solto Poema
Bocas Que Se Encontram
No Murmúrio da Paixão
Nos Versos
Beijos
de Amor.

(Maxuel Scorpiano – Van Albuquerque)
31/10/09