domingo, 20 de setembro de 2009

Tempestade


Tempestade



Ouço o açoite
impiedoso do vento
sombrio a sibilar

Na vaga tênue da saudade
nuvens sépias
entristecidas adensam-se
no céu azul do meu olhar
desaba uma tempestade

Meus olhos tempestivos
vertem cinzentas gotas
tristes caem no mar
afogam ondas solitárias
assombram os soluços

Tristeza navega
naufraga a chama acesa
num coração apaixonado

S.S.(Van Albuquerque)

Nenhum comentário: