segunda-feira, 13 de julho de 2009

Flor da pele


Flor da pele


Desejo brota
escaldante caminha
descalço passeia
desnudo recita poesia
entoa suave melodia
a flor da pele

Febril estremece poros
orvalhando arrepia
solto na brisa ondeia
num mar de prazer
sussurra teu nome

Lentidão do tempo
sorve nos lábios
as carícias quentes
no sal que escorre
pelos cantos da boca

Nas curvas sinuosas
em êxtase explode
molha-se no espasmo
enrubescido degusta
sabor cítrico suado
de frutas silvestres
que exala da pele
umedecida de prazer

(Van Albuquerque)
05/07/09

Nenhum comentário: