terça-feira, 28 de julho de 2009

Indisfarçável atração


Indisfarçável atração


Quem é você que me aflora?
Meus desejos, mais secretos
me devora...
Sinto-os saírem pra fora
quando me olhas...

O que faço eu agora?
Fugir de sua presença
ir embora?
Me inquietas tanto
Senhora...
-Nill-
27-07-09


Se aquiete poeta!
Não se vá ainda...
Leia-me!...

Sou todas as cores
quentes e frias
densas se misturando
nos seus dias e noites

Alquimia de nuances
cálida de desejos
embebida em sabores
feito um vulcão
entrando em erupção
dentro do seu coração

Sou os versos
que sua alma insone
escreve no poema

-Van Albuquerque-
28/07/09



Sozinha


Sozinha

Sem você sou sol frio
noite sem luar
solidão marejando
meu olhar

(Van Albuquerque)
28/07/09

Lembranças


Lembranças


Abre-se em meu olhar
um baú de memórias

Um sonho azul
lembranças tenras
de um amor
envoltas em ramos lilases
perfumadas de lavanda

(Van Albuquerque)
28/07/09

Poesia febril


Poesia febril


Hoje meu olhar
sem querer
acordou embaçado
acinzentou meu dia
embriagado de cores

Um fluxo d’água
cristalino por minha face
escorre quente

Entristecida escrevo
uma poesia
febril de saudades

(Van Albuquerque)
28/07/09

Olhares




Olhares


Dentro do teu olhar
vi nascer o sol
quente de verão

Você partiu

Em meu olhar
vi o inverno chegar
fora de época
congelar minha alma

(Van Albuquerque)
27/07/09

Delírios


Delírios


A noite arde febril
sem ti meu corpo
ferve de desejos
inebriado delira
sob o emaranhado
sedoso dos lençóis

(Van Albuquerque)
26/07/09

Rubro aroma


Rubro aroma


Trago nos lábios
um aroma fresco
rubro da cereja madura
arejando vontades
gotejando de desejos

(Van Albuquerque)
26/07/09

Teu beijo


Teu beijo


Tem textura sutil
aroma fresco de paixão
gosto de maça verde
colhida no pé
pela manhã

(Van Albuquerque)
25/07/09

Sedução


Sedução


Tuas mãos me roçam
quebram o silêncio
da noite fria

Quentes se desfolham
desnudam meu corpo
como se lessem um mapa
rastreiam minhas curvas

Na penumbra
tecem carinhos seduzem
descobrem atalhos
novos caminhos
para o prazer

Ávidas viajam
na geografia sinuosa
do meu corpo nu

(Van Albuquerque)
26/07/09

Poetizando...


Poetizando...


Van Albuquerque

Está muito...mas muito frio aqui!
Vou voltar para os edredons...

Nill

Aqueça-te neles (edredons) e traga-nos
versos efervescentes!...
Adentrando nossas almas,
nos tornando flamejantes corações ardentes...
Sentes?

Então volte envolvente...
...Estamos carentes...

Van Albuquerque

Aquecida sob a quietude dos edredons
minha alma veste-se com palavras...

Na penumbra desperto
minhas mãos tateiam letras
no papel se juntam, delineio versos
componho sentimentos...

Escrevo o beijo quente que inebria
o desejo que afaga a pele
o abraço que aconchega a alma
o amor que aquece Adicionar imagem
os corações carentes de tanta gente...

25/07/09

Arco-íris


Arco-íris


No silêncio das cores
digo tantas coisas

Escrevo um arco-íris
de sonhos

Colorido de desejos

(Van Albuquerque)
25/07/09

sábado, 25 de julho de 2009

Devaneando



Devaneando


Busco em meu corpo
a textura quente do teu
chegando devagar
pincelando vontades
sombreando desejos
Na penumbra devaneias
te pinto menina,
lhe faço deleite
corpo esculpido
prazer exaurido...

(Nill – Van Albuquerque)
24/07/09

Dócil poeta




Dócil poeta



Ah Van!


Naquela hora estava tenso,desligado
Com o coração fechado...
Alma abatida por uma circunstancia
da vida...
Não consegui dar-lhe resposta devida.


Naquele instante, senti distante, o
manancial de inspiração,
que sacia a sede do poeta amante...
...este se faz doravante presente..
Aos poetas abertos, recebem
seus afluentes...


E eu estou aqui meio descontente
Ao seu doce desafio me fiz
Ausente...

-Nill-
24/07/09
22:15...

Ah Poeta!


Sinto-te sempre presente,
mesmo que a distancia entre nós
se faça dorida ausência...
Tu és um poeta de coração aberto,
trás na alma o versejar límpido
das palavras que fluem ao som singular
que tua alma singela entoa...


Nunca, nenhum instante teu
tornou-se fugaz a ponto de tirar-lhe
o manancial de inspiração poético
com que fostes agraciado.


Tu és o amante dócil, das palavras
escrevendo em versos os sentimentos
que tua alma inconteste dita.

-Van Albuquerque-
24/07/09
22:44

Amor


Amor


...Por caminhos desconhecidos
meus sonhos me levaram a ti...
Meus olhos fixaram-se nos teus
meus lábios trêmulos,
loucos para te beijar, sorriram...

Apaixonado, naquele momento
de êxtase pleno, entreguei-me
na linguagem dos anjos cantei
para ti minha amada a mais linda
cançaõ de amor

(Van albuquerque – Heredion)
25/07/09

Despudorada


Despudorada


Tua boca caminha
em minhas curvas
despe labirintos

Inebriada verseja
faminta saboreia
meu gosto quente

Despudorada
entrego-me a ti
molhada de desejos

(Van Albuquerque)
24/07/09

Sensações


Sensações


Gosto de sentir
teu beijo morno

Tua saliva acariciando
minha língua
embriagando de desejos
inundando de prazer
minha boca nua

(Van Albuquerque)
24/07/09

Quero




Quero


Sentir tua boca
escrevendo um poema
em minha pele desnuda


(Van Albuquerque)

23/07/09

... Desnuda Esse Sentimento
Que Não Se Explica,
Mas Que Sentimos...
Boca Tua Com Fome da Minha
e Minha De Sede Pela Tua,
Na Síntese do Verbo Amar.

_ Maxuel Scorpiano _
23.07.09/ás22:54H

Ofegante melodia




Ofegante melodia


Acolho tua boca
beijo teu beijo
ávida engulo teu cheiro
minha pele absorve teu gosto

Você me excita
enlouquece, consome,
és chama intensa que inebria...

Meus dedos te dedilham,
acordes perfeitos,
entoando ofegante melodia...
Em sua pele
escrevo versos molhados...

(Matheus – Van albuquerque)
23/07/09

Você me disse que volta logo


Você me disse que volta logo...



Mas logo ali me encontro...
desencontro...
Mas que volta é essa
que o mundo dá ...
E você não está...
Passará essa volta a chegar.

Chegará nos descaminhos
das calçadas da vida
dobrando as esquinas do vento
nas ruas do destino

Chegará no tempo lento
que escorre sem pressa
pela ampulheta do tempo

Chegará quando a saudade
um deserto caminhar
arder nos desencontros
mares tempestivos velejar
em ti ancorar e você
pedir-me para voltar.

(Brain – Van Albuquerque)
22/07/09

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Atrevida


Atrevida


Toco seu corpo aquecido
em ti faço meu ninho

Meus lábios febris
beiram sua boca macia

Em sua pele
meus beijos molhados
arrepiam poros

Murmuram carinhos
indecentes sussurram
novos desejos
calam tuas vontades

(Van Albuquerque)
20/07/09

Só por um instante...


Só por um instante...



Quero tê-la
em meus braços

Afagar teus cabelos
sentir seu cheiro
calor do seu corpo
sua boca na minha...

Será inesquecível!
Imortalizará nosso
desejado momento
de amor...

(Heredion – Van Albuquerque)
18/07/09

Ausência


Ausência


Em meio ao meu silêncio
solidão desfolha palavras
escreve poesia
em pétalas de tristeza
permeadas pela dor
que sua ausência
causa em mim...

Meus olhos vertem lágrimas
por teu retorno gotejam súplicas
nas lembranças buscam por ti
tiram-me a razão de ser EU...

(Nill - Van Albuquerque)
19-07-09

Bem querer


Bem querer


Dentro do meu silêncio
um inquieto coração
navega sem mar

Perdido em seu olhar
naufraga na poesia
de tanto te querer
meu bem querer

(Van Albuquerque)
19/07/09

Parabéns!


Parabéns!



Pergunto-lhe quantos anos você tem hoje?

Você não responde...

Olhando em meus olhos sorri com desdém...

Ah... já sei!
Hoje você tem a idade que a vida lhe concedeu
para continuar a ser você mesmo!...

Um ser humano especial
luz que brilha iluminando os caminhos
de todos que de ti se aproximam

Pessoa que admiro que em pouco tempo
aprendi a respeitar e amar

Hoje é o seu aniversário
faça um brinde a sua vida
comemore essa data consigo mesmo...

Congratule-se por ser
essa pessoa maravilhosa que você é!...

Felicidades!

(Van Albuquerque)
18/07/09

Caminhando...


Caminhando...


Segure a minha mão
em silêncio iremos caminhar
sentir a areia branca
sob nossos pés a nos acariciar

Sentir a brisa que sopra
tocar suavemente nosso rosto
afagar nossa pele
cúmplice contracenando
com a madrugada fria
que nos aguarda...

A brisa nos levará mar adentro
para o mundo povoado
de sonhos e fantasias
que vivemos a buscar...

Juntos, de mãos dadas
nos caminhos da madrugada
iremos nossos sonhos realizar....

(Célio Murilo – Van Albuquerque)
18/07/09

Deleite


Deleite


Para que palavras?

Meu olhar
por seu corpo passeia

Sutil diz tudo
que minha alma deseja

(Van Albuquerque)
18/07/09

Suavidade


Suavidade


Teu beijo pousa
suga meus lábios
desejo denso
aroma de mel

Flor sedosa
a se despetalar
delicado feito
um beija-flor
beijando o doce
suave da flor

Deixa na minha boca
um gosto primaveril
azul da cor do céu

(Van Albuquerque)
18/07/09

Teu sabor


Teu sabor

Vez em quando
ainda sinto teu gosto
sabor da tua boca
colorindo meus lábios
com seus desejos



(Van Albuquerque)
17/07/09

Sem dono


Sem dono


Meu coração sem dono
desolado saiu do meu peito
da minha alma desabrigou-se

Desiludido foge de mim
descalço caminha
pelas ruas nuas da vida

Perde-se num desvio

Descaminhos mudos
do destino sem piedade
espreitam meu mundo
vazio de ti

Van Albuquerque)
16/07/09

Saudade...


Saudade...


Saudade chegou
bateu a minha porta
entrou de mansinho
invadiu meu coração

Aquietou-se no vão
de nossas lembranças

Deixo o tempo passar
suave a me acariciar
sentindo a saudade de ti
tomando conta de mim

E na doçura do devaneio
vejo-me te amando
com a alma em festa
acariciando esse amor
sem fronteiras...

São teus os momentos
de desejos fecundos,
as recordações orvalhadas
por uma doce sensação
de paz...
Saudade chegou...

(Van Albuquerque – Cida Luz)
17/07/09

Saudades de ti


Saudades de ti


Madrugada escura
ruas emudecidas
meus coração solitário
triste escora-se
em nossas lembranças

Grita seu nome
absinto cristalino
escorre dos meus olhos
molha meus lábios
acinzenta o céu
róseo da minha boca

Pela madrugada fria
meu coração caminha
vaga sem rumo
pelas esquinas surdas
meu olhar mudo te busca
melancólico desfalece
com saudades de ti

(Van albuquerque)
15/07/09

Inconfesso segredo


Inconfesso segredo


Na noite insone
dispo sentimentos
escrevo versos
confesso ao papel
meu segredo

Acordo a lua
acendo as estrelas
deixo que meu amor
siga seu caminho
faça barulho
acorde nossos sonhos
arranhe sua alma
afague as paredes
do seu coração

No teu ouvido
diz baixinho o que
a distancia não cala
Amo-te no silêncio
que se faz em mim

(Van Albuquerque)
14/07/09

Sentidos


Sentidos



Tenho em minha boca
seu gosto agridoce
molhando meus lábios

Teu cheiro aromatizando
meu corpo de saudades

Sinto em mim o desejo
florescendo úmido
de vontades

(Van Albuquerque)
13/07/09

Sem ti



Sem ti


Não estás aqui
dispo-me de mim

Visto tua pele
no teu calor
aqueço anseios

Na fragrância
do teu corpo
aquieto desejos

(Van Albuquerque)
13/07/09

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Namorar você...


Namorar você...



É poder ouvir mesmo na distancia
sua voz chegando
no sopro quente do vento...
Seu sorriso alegrando a quietude
acendendo a luz do meu dia...

Sentir seu cheiro aromatizando
o ar que eu respiro...
Seu olhar malicioso me observando
fazendo-me flutuar sem sair do chão...
Seu calor sedoso se derramando
vestindo de caricias minha pele nua...
Sabor delicioso da sua boca
me alimentando
matando minha sede de ti...

Namorar você é sentir a saudade
vestindo-se de desejos em mim...

(Van Albuquerque)
12/06/09

Tanto amor


Tanto amor


Meu amor por ti
é tanto
quanto não sei
mensurar

Sei que não cabe
mais dentro
do meu peito

Ansioso anda
de um lado
para o outro

Infindo explode
saí de dentro
de mim
busca um lugar
dentro de ti

(Van Albuquerque)
10/07/09

Semeadura


Semeadura


No teu silêncio
quero semear
as sementes
do meu carinho

Quero germinar
deixar o tempo
passar lentamente
sem me preocupar
com as horas

Em qualquer estação
ver o meu amor
infinito florescer
dentro de ti

(Van Albuquerque)
10/07/09

Desenhando


Desenhando


Deixe-me tocar
seus desejos

Minha boca quente
em teu corpo
derreter afagos
desenhar palavras
escrever poesia

(Van Albuquerque)
09/07/09

Nua


Nua

Dispo-me e sinto
que você
se esparramou

Existe um pedaço de ti
em cada canto de mim
(Van Albuquerque)
09/07/09

Ensina-me


Ensina-me?


Sem perceber
aprendi a amar
teu carinho
desmedido e terno
teu jeito
desajeitado e meigo
tuas virtudes
teus defeitos

Hoje preciso de ti
me esquecer

Minha vida sem ti
precisa viver
sem que continues
escondido num canto
aqui dentro de mim

(Van Albuquerque)
09/07/09

Instante


Instante


Isolo-me de mim
lapido no olhar
um instante fugaz

Desenho teu corpo
toco sua pele
respiro teu cheiro
na sua boca
bebo teus beijos
(Van Albuquerque)
08/07/09

Busca


Busca


Entre muros
vagueio insegura
entre pensamentos
olhos vendados
na busca vã
pelos sentimentos

(Van Albuquerque)
06/07/09

Ansiedade


Ansiedade


Eu as vezes
ainda me esqueço
de respirar
quando de longe
ouço tua voz chegando
com o sabor do vento

(Van Albuquerque)
05/07/09

Confissão


Confissão


Além de mim
sinto-te cá dentro

Bem sei
que a nenhum outro
um dia amarei

(Van Albuquerque)
05/07/09

Flor da pele


Flor da pele


Desejo brota
escaldante caminha
descalço passeia
desnudo recita poesia
entoa suave melodia
a flor da pele

Febril estremece poros
orvalhando arrepia
solto na brisa ondeia
num mar de prazer
sussurra teu nome

Lentidão do tempo
sorve nos lábios
as carícias quentes
no sal que escorre
pelos cantos da boca

Nas curvas sinuosas
em êxtase explode
molha-se no espasmo
enrubescido degusta
sabor cítrico suado
de frutas silvestres
que exala da pele
umedecida de prazer

(Van Albuquerque)
05/07/09

Crepúsculo


Crepúsculo



Fugazes meus olhos
tocam suavemente
a carência dos teus

Roçam o vazio
molhado de tristeza
que alicia de dor
tuas noites
apaga teus dias

Meus olhos
descortinam os teus
mostram a ti
um novo crepúsculo
colorido de amor
que habita em mim

(Van Albuquerque)
07/07/09

Colheita



Colheita



Sem pressa
colha da minha boca
morangos macios

Dos meus lábios
sinta a textura
escorrendo suave
adocicada molhando
tuas vontades...

Fartar-me-ei com mais
puro fulgor, intenso
denso sabor, sensação...

Teu mel, meu céu..
meu delírio fustigado...
Nossos desejos
realizados...

(Nill – Van Albuquerque)
04/07/09

Fria solidão


Fria solidão


Solidão feito maré cheia
transborda na areia
cavalgando a solta
lateja no vento

Veloz cerra meus olhos
ofegante respira fria
despe meus sentidos
veste minha pele
com seu calor febril
aconchega-se a dor muda
da minha tristeza
dentro da minha alma
faz um ninho se abriga

Num canto vazio
ferve calada se inflama
machuca meu coração
silenciosa comigo caminha

(Van Albuquerque)
03/07/09

Esta noite


Esta noite


Não quero ouvir
a voz da saudade
soluçando fértil
em meu coração

Minhas lágrimas
se represando
feito um rio
desaguando triste
dentro de mim

(Van Albuquerque)
03/07/09