terça-feira, 23 de junho de 2009

Insensatez


Insensatez
(Van Albuquerque)

Meu coração dói...
Não aprende!
Vez ou outra
desvencilha-se de mim
insensato, foge...
Caminhando, sem rumo
tropeça, na palavra amor...
Depois, volta chorando
sofrendo calado
dor de (des)amor.


Nem Tanto
(Luiz Henrique)

Se dói é porque sente
Se não aprende, talvez porque já saiba
Que ao fugir somente
Encontrará mormente
Amor de alma, que no corpo não caiba

Teu coração é fugidio
Plaina como pluma, sem rumo e certeza
A aventura é seu subsidio
De dia ou de noite luzidio
Seu brilho – de rara e fulgurante beleza

Um dia vai acostumar
Com esse coração sem controle, limite e desobediente
Teimoso ao buscar
Amor único e singular
Que se espera seja tão perfeito, que faz-se desamor somente...

Nenhum comentário: