terça-feira, 19 de maio de 2009

Fragmentos


“Incompletos”
(Luiz Henrique)

Eu com minhas poesias, fragilizadas e incertas
Você fazendo da pintura suas próprias descobertas

Quando poderíamos talvez um dia, quem sabe
Construir uma ponte que nos una e jamais desabe

Mas ao que tudo indica, querida, assim seguiremos
Desencantados e desunidos, sem admitir o quanto nos queremos ... 

E nessa distância, jamais nos completamos
Solitários e fragmentados que hoje estamos
Na incessante busca do amor ideal - não amamos ...


Fragmentos


Minha pintura tem um tom de amor silente
solitário, fragmentado nos desencontros 
das linhas que escorrem feito areia
na ampulheta do tempo...

Cores versejando livres e soltas
ao sabor da brisa quente...
Pinceladas ora incertas
ora densas colorindo sonhos
acariciando lembranças...

Vestem com timidez a nudez da alma
descobrem novas nuances
para todos os meus sentimentos!...

(Van Albuquerque)
12/05/09

Nenhum comentário: