quinta-feira, 28 de maio de 2009

Saudade...


Saudade...


Em meus olhos
lágrimas adensam-se
solitárias caem...

Banham minha dor
serenam minha face
emudecida de saudade...

De saudades alimento-me
O que me escorre dos olhos
Faz falta a meus escritos...
Por isso corro para marcar
essa pagina... 
Não só com essas lagrimas
mas com seus contornos 
decorados por meus dedos
não só pelos meus dedos
Mas por meu tato
Acostumado com sua pele...

Teus carinhos contornam
as lembranças...
desenham palavras 
nos versos de amor 
escritos no papel
no tato no cheiro no gosto
na saudade que ficou...

Por Lupi (Luciano Lopes) e Van Albuquerque
(28/05/09)

Chuva e poesia


Chuva e poesia


Chuva lá fora cai miudinha
calma inspira poesia...

Da caneta do poeta a tinta
feito chuva cai devagar 
respinga letras
goteja palavras...

Versos ternos
escorrem no papel...

Poesia em silencio 
nas gotas da chuva viaja...
Aquece de amor o coração 
de quem lê ...

(Van Albuquerque)
27/05/09

Teu amor...



Teu amor...


Esse teu amor arteiro
que chegou 
quebrando regras
desarrumando gavetas
desmontando prateleiras
desgovernando meu mundo
bagunçando meu coração

Ah...

Esse teu amor tem o dom
de parar o tempo 
encantar nossos momentos
me fazer rir grande 
feliz feito uma criança

(Van Albuquerque)
24/05/09

O tempo do poeta


O tempo do poeta


Poeta vive 
com o coração pendurado 
balançando feliz 
numa corda bamba
verseja amor em poesia...
Verseja silencio onde há barulhos indesejáveis...
deseja barulhos inconfessáveis numa hora
e brada sobre segredos em outras 
Mas seu coração pendurado
Pendula um sim 
um não...
Um sim 
um não...
Não deseja o sim
Não deseja o não....
Deseja sonhar
viajar no silêncio das palavras 
se enveredar nos versos e amar!
Amar sua presença
Sofrer sua ausência
Meu coração pendurado
Pendulando um sim
Pendulando um não


Um poeta vive assim seus amores...
Com sins
Com nãos...
entregue ao tempo que o engole
em solidão.

Por Lupi (Luciano Lopes) e Van Albuquerque
24/05/09


Quietude...


Quietude...


Gosto da quietude
esmaecida das tardes
frias de outono...

Gosto de ouvir 
sua voz chegando 
no dorso do vento...

Cálida confidenciando 
Eu te amo
para o meu coração...

(Van Albuquerque)
24/05/09

sábado, 23 de maio de 2009

Escrevendo...


Escrevendo...


De mãos dadas
seguimos pela estrada...

Trocando olhares
segredando desejos...

Nos lábios
sorriso macio
adensado de felicidade....

Nosso afeto
pincelando palavras
colorindo a folha do papel...

De mãos dadas
nosso carinho escrevendo
letras tenras
nas páginas de nossas vidas...

Mais um capítulo
da nossa história de amor
sem fim...

(Van Albuquerque)
23/05/09

No meu canto...


No meu canto...


Calo as palavras
no silencio oco dos desejos
que invadem a minha alma

Amordaço meus sentimentos
sufoco meu coração insensato
que alardeia desabafando
num grito sem fim...

As avessas ajeito-me...

Na escuridão densa de mim
tento apagar vestígios de nós...
Sobrevivo a mudez falante
do meu amor por ti...

Como um bem-me-quer
desfolho na vaga do tempo
pétala a pétala doces lembranças
que restaram de nós ...


(Van Albuquerque)
20/05/09

Teu beijo doce...


Teu beijo doce...


Estou com vontade
de sentir teu beijo doce...

Feito um algodão doce
derretendo a inocência
dos meus desejos...

Colorindo de carinho
meus lábios...

Melando de amor
a minha boca...

(Van Albuquerque)
19/05/09

terça-feira, 19 de maio de 2009

Como te esquecer...


Como te esquecer...


Se quando fecho meus olhos
vejo teu sorriso feliz
acordando o sol do meu dia...

Adormeço e seu olhar 
clareia a penumbra tênue
da minha noite escura...

Sinto na brisa o aroma 
de seus beijos calando 
minha boca
me despindo...
Vestindo de carinhos
minha pele nua...

Me ensina?!

Meu coração 
ainda não aprendeu...
Gosta de ouvir 
sua voz sussurrando
seu amor dentro de mim!...

(Van Albuquerque)
18/05/09

Fica aqui comigo?!


Fica aqui comigo?!


Meu coração está pedindo...

Se aquiete no aconchego
no calor desse meu amor
que contigo sonha
te deseja ... te quer...

Segure a minha mão
não se vá ainda...
Fica um pouco mais
aqui comigo?!

(Van Albuquerque)
16/05/09

Sonho azul


Sonho azul


Saudade não cicatriza
gemendo de dor
rasga meu coração

Entristecida abraço
nossas lembranças...

Acaricio 
cada sonho azul meu 
tão seu, tão nosso...

Lágrimas escorrem
molham o cetim
desbotam o azul cálido
dos meus sonhos

Nosso amor soluça
sendo escrito
nos versos molhados
da minha poesia 

(Van Albuquerque)
14/05/09

Carícias...


Carícias...


Em meu corpo 
tuas mãos audazes
escrevem um poema...

Carícias suaves
silabam palavras...

Escrevem versos mornos
aquecem minha pele
com teu amor...

(Van Albuquerque)
13/05/09

Amarras...


Amarras...


Em momentos insanos,
as sentinelas em mim
dormem...

Os sentimentos presos 
libertam-se das amarras...

Entregam-se desnudos
contigo vivem o êxtase pleno!

(Heredion – Van Albuquerque)
12/05/09

Fragmentos


“Incompletos”
(Luiz Henrique)

Eu com minhas poesias, fragilizadas e incertas
Você fazendo da pintura suas próprias descobertas

Quando poderíamos talvez um dia, quem sabe
Construir uma ponte que nos una e jamais desabe

Mas ao que tudo indica, querida, assim seguiremos
Desencantados e desunidos, sem admitir o quanto nos queremos ... 

E nessa distância, jamais nos completamos
Solitários e fragmentados que hoje estamos
Na incessante busca do amor ideal - não amamos ...


Fragmentos


Minha pintura tem um tom de amor silente
solitário, fragmentado nos desencontros 
das linhas que escorrem feito areia
na ampulheta do tempo...

Cores versejando livres e soltas
ao sabor da brisa quente...
Pinceladas ora incertas
ora densas colorindo sonhos
acariciando lembranças...

Vestem com timidez a nudez da alma
descobrem novas nuances
para todos os meus sentimentos!...

(Van Albuquerque)
12/05/09

Sem cor


Sem cor


Mais uma noite fria
sem cor sem ti
vazia de carinhos...

Dor da saudade
chega de mansinho 
faz um ninho ...

Nua 
veste-se de inverno 
fria se aconchega
hiberna dentro de mim!...

tão frio!
Vazio!
Sozinho!
tão eu!
tão só!
o açoite da noite me malha!
a saudade na noite amanhece
e meu ninho permanece vazio!!

Nu de amor, sozinho
no inferno do inverno!
sem teu aconchego!!
sem nada, 
nem de mim tenho apego!
Só!

(Marcos Woyames de Albuquerque – Van Albuquerque)
11/05/09

Descaminho


Descaminho


No meio do caminho
você largou a minha mão
seu amor fez um descaminho
seguiu por outra estrada
nos perdemos de nós

Sem você aqui
cada novo amanhecer
será triste e sem vida 

A saudade chegará 
trazendo seu cheiro morno
aconchegado na brisa

Seu perfume cálido
incendiará minha pele 
com as lembranças de ti

(Van Albuquerque)
28/04/09

Entrega


Entrega


Por algum tempo
você teve minha vida
florescendo feliz
em suas mãos...

Para você parecia
não ser muito...

No entanto
era todo o meu amor
que entregava a ti!...
(Van Albuquerque)
07/05/09

domingo, 10 de maio de 2009

Contigo...





Contigo...


Vivo um amor
atrevido...

Intenso ateia fogo
nas faíscas quentes
das vontades...

Ardente incendeia
meus desejos...

(Van Albuquerque)
07/05/09

Deixa...


Deixa...

Eu entrar em sua vida
de mansinho ...
Morar dentro do seu coração
te amar devagarzinho...

(Van Albuquerque)
07/05/09

Você...




Você...


Do nada surgiu...
Com vermelho vivo,
suavemente pintei
as paredes dos desejos...


Feras se soltaram,
tentei fugir!
Rendi-me ao apelo
sutil do amor...


Reacendi a chama
da paixão ora adormecida...

(Heredion -Van Albuquerque)
06/05/09

Gosto...


Gosto...



Do seu olhar malicioso
arruaceiro fazendo bagunça
fascinando meu coração

Do seu sorriso tímido
nascendo fugaz
se derramando todo
num canto da sua boca...

De seus lábios úmidos
estimulando sentidos
molhando meus desejos

Ah...Mas eu gosto tanto
desse teu jeito
tão seu de homem feito
de menino carente
desassossegado e meigo
desajeitado aquietando-se
em meus braços!...
(Van Albuquerque)

04/05/09

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Vontade de você...


Vontade de você...


Sinto por você
uma vontade vermelha
tão grande tão sua ...
Vontade toda nua!...


Mordo os lábios
engulo o gosto
vermelho e tenro
do desejo insano
que sinto por ti...


Vontade de sentir
teu carinho todo aqui
se derramando...


Você degustando
meu sabor...
Teu prazer gotejando
feito um morango
vermelho e doce
dentro de mim!...
(Van Albuquerque)

29/04/09

Saudade voa



Saudade voa


Saudade de ti
feito uma borboleta
esvoaça as asas
sai de mim

Voa silente
ao sabor do vento
em seu corpo
encontra um jardim
primavera de cores
aromas e sabores

Em teus lábios
descansa lânguida
um beijo meu

Seiva densa goteja
adocicada de desejos

(Van Albuquerque)

28/04/09