terça-feira, 31 de março de 2009

Tuas carícias




Tuas carícias


Tuas carícias
despem minha pele...
Fazem meu corpo
tremular, de desejos...

Sem pudor
avançam febris...

Audazes descobrem
atalhos escondidos
na maciez sedosa
de minhas curvas, nuas...

Nos segredos
sendo desvendados
novos sabores ...
Indizíveis perfumes
para o nosso prazer

Tuas carícias
me seduzem...
Sorvem, minha lucidez
fazem-me sua!...

(Van albuquerque)
19/03/09

Meu poema te leu!





_ E o Teu Poema me Leu _


...E o Poema de Van Albuquerque me Pegou de Surpresa,
Enveredou em Versos
Que Despiram Toda e Qualquer
Minhas Defesas,
Eu Lia Ali Sentimentos Tão Meus
Tão Secretos Sagrados,
Tão Por Mim Guardados,
E Van os Descreveu...
Perplexo...Instintamente Olhei Para os Lados,
Mas Estava o Poema e Apenas Eu,
E Me Lia Por Completo
Me Decifrando
Me Traduzindo,
Expondo Meus Inversos
Partes Minhas,
Um Nu Tão Nitído
das Coisas Que Eu Vivia
Sentia
E O Poema De Van Descreveu...


_ Maxuel Scorpiano _
10.03.09/ás08:40H



Meu poema te leu!


É poeta...

Por várias vezes, me surpreendi!
Fui lida, por teus poemas também...

As palavras têm esse dom singular
de nos ler...
Nos despir, adentrar nossa alma
nos fazer flutuar, voltar ao passado
viver um futuro longínquo
nos fazer felizes...
Sem querer desnudam nosso EU!...


Obrigada poeta
Amo tua irreverência poética
teu jeitinho singular de brincar
fazer sopa de letras com as palavras
lindamente, poetisar...
(Van Albuquerque)
11/03/09

Imenso amor



Imenso amor


Cresce, dentro de mim
um imenso querer
permeado de desejos, por ti...

Feito uma borboleta
esvoaça meus sentidos
toma conta do meu coração...

Brinca com minha emoção
como se fosse lúdico
eu me apaixonar
te amar, tanto assim...

(Van Albuquerque)
17/03/09

terça-feira, 17 de março de 2009

Princesinha...


Princesinha...


Num instante fugaz
Princesinha feliz
fecha os olhos
deita o cansaço...

Ouve ao longe
uma suave melodia
aconchega a alma
serena, dormita...

Na quietude
de um soninho curto
Princesinha menina
em seu castelo
embala sonhos...

(Van Albuquerque)
16/03/09

Deserto de ti...


Deserto de ti...


Sem você, perto de mim
meu mundo fica triste...
Um deserto infindo de ti
solitário, se cala...

Veste-se de lembranças 
ternas, áridas de saudades...

(Van Albuquerque)
16/03/09

Teu jeito de menino


Teu jeito de menino



Teu olhar, de menino carente
me acaricia, pede colo...
Tem um jeito de mistério
me faz feliz, cativa de ti...

Teu sorriso, de menino atrevido
me faz, um menina travessa...
Embala meus sonhos
meus desejos mais loucos...

Teu abraço, é suave canção 
me envolve toda...
Adormece, a distância tênue
que há entre nós...

Teu jeito de menino 
faz nascer em mim
a cada dia, um bem querer
de querer-te, sempre mais...

(Van Albuquerque)
15/03/09


Encanto


Encanto


Teus olhos densos
da cor do mel
atrevidos me lêem
desnudam...

Ternos 
escorrem carinho
adoçam minha vida
encantam meu coração!...

(Van Albuquerque)
15/03/09

Tecendo poesia


Tecendo poesia


O poeta tece 
poesia nas palavras
Canção sublime
deleite suave
que enleia os sentidos
enleva a alma

(Van Albuquerque)
14/03/09

Teu olhar


Teu olhar

Esse teu olhar tímido
passeando lânguido
em mim...

Tem um que de carinho
com sabor de desejos
inebria meus sentidos
me fascina seduz...

Em teu abraço
aconchego-me...
Tua boca cala a minha
você faz do meu corpo
seu ninho...
Um abrigo seguro
para suas vontades...

(Van Albuquerque)
13/03/09

Poesia


Poesia


Poesia são palavras
pétalas orvalhadas
sonhos contidos
por muitas vezes 
desejos incontidos

Lágrimas cristalinas
tombando de tristeza 
sorriso de felicidade
brotando faceiro 
num canto da boca

Poesia é sentimento
palavras mudas 
desabrochando leves
explodindo em versos
inundando a vida

É a alma do poeta
inebriada versejando
lúcida escrevendo
poesia no papel 

(Van Albuquerque)
14/03/09

Sabor de saudade


Sabor de saudade


Brisa sopra quente
roça minha pele
pôe em meus lábios
sabor doce e morno
do seu último beijo


Aroma de morangos 
paladar vermelho 
derrete-se denso
licor rubro escorre
mistura-se ao desejo


Gula dengosa
aconchega-se serena
sussurra sua saudade 
ávida murmura 
teus carinhos
em minha boca 

(Van Albuquerque)
13/03/09

Nosso amor


Nosso amor

Nunca pensei 
que o nosso amor
seria assim infindo...

Que as dúvidas
se calariam assim
com um beijo...

Um amor nosso amor
versado em poesia
tão lindo assim...

Você segurando
minhas mãos
cuidando de mim...

(Van Albuquerque)
11/03/09

sexta-feira, 13 de março de 2009

Teu olhar



Teu olhar

Esse teu olhar tímido
passeando lânguido
em mim...

Tem um que de carinho
com sabor de desejos
inebria meus sentidos
me fascina seduz...

Em teu abraço
aconchego-me...
Tua boca cala a minha
você faz do meu corpo
seu ninho...
Um abrigo seguro
para suas vontades...

(Van Albuquerque)
13/03/09

quarta-feira, 11 de março de 2009

Meu dono


Meu dono


Você chegou 
roubou minhas defesas
se fez dono de mim...

Sinto-me nua
uma flor a desabrochar
tenra em seus braços

Despindo-me 
em pétalas sedosas
de vontades...

Em tua boca macia
afago meus sonhos
orvalho meus desejos...

(Van Albuquerque)
09/03/09

Saudade ardente


Saudade ardente


Sinto um apelo 
chegar sereno
sôfrego grita
buscando por ti
em meu coração

Saudade crepita
num lume ardente
escorre escarlate
dentro de mim

Faz minha alma
jorrar escaldante
meus olhos tristes
queimam de dor

Meus lábios trêmulos
não se calam 
sussurram seu nome
dentro do vazio
que ficou de nós

(Van Albuquerque)
09/09/09


Devaneio


Devaneio



Alquimia de cheiros
sabores e cores
amor galopa veloz
dentro do meu peito

Transborda febril
chuva e sol 
arco-íris vibrante
desenha-se no céu

Voraz acorda a fúria 
ardente derrete
desejos contidos

Um pedaço de mim
se entrega ...
Coração sedento
devaneia em silêncio

(Van Albuquerque)
09/03/09


Homem menino


Homem menino



Dentro de ti mora
um moleque travesso
um homem menino
que sorri brinca e chora
me encanta...

Teu olhar sorrateiro 
chega manso...
Atrevido despe minha razão
perturba meus sentidos
enleia minha alma...

Homem menino
na vaga do teu sorriso
arrasto as horas...

Em seus braços
desarmo meus medos
aninho meus desejos
devaneio...

Homem menino
você faz festa 
dentro do meu coração!....
(Van Albuquerque)
08/03/09

Mulher...


Mulher ...


Mulher é o sonho
que acorda para a vida
emoção que acende
o desejo maior...

A musa do poeta
poesia singular
nota melodiosa 
na suave canção...

Mulher é a emoção 
que acaricia
enfeitiça os sentidos
mulher é amor!...

(Van Albuquerque)
07/03/09


Saudade devaneia


Saudade devaneia


Minha saudade por ti
entrou no cio...
Chega ligeira 
arrebata minha alma...

Desmedida, brinca 
com minha razão
embriaga de desejos 
meus sentidos...

Meu coração assustado 
na madrugada devaneia...
Brisa cálida, entoa 
uma canção, só nossa...

Suave canção
diz ao meu coração 
para onde minha alma 
deve voltar!...

(Van Albuquerque)
07/02/09

Amanhece


Amanhece 


Noite insone
meus olhos te buscam
na penumbra chovem
saudades de você


Teu carinho me acorda
afaga meu coração
faz brilhar em mim
o sol do novo dia

Um arco-íris amanhece
desenha-se sem pressa
no tom amendoado
do meu céu

Alquimia de cheiros
misturando cores 
brisa sussurrando sabores
orvalha meus sentimentos

Meu desejo voa 
esparrama-se livre no ar
goteja em sua boca
o gosto agridoce 
salivado do meu beijo

(Van Albuquerque)
05/03/09

Meu coração assustado


Meu coração assustado


Entardecer chega manso
teu suave versejar
ondeia meus medos
clareia meu tempestuoso mar

Minha alma inquieta
de longe te espreita
embevecida te escuta 
calada deita-se na areia

Meu olhar mudo 
ao calor do sol descortina-se 
um sentimento doce desperta 
minha voz embargada soluça

Meu coração de ti
foge assustado
vagueia no tempo se esvai
acalma-se ao sabor do vento

Na vaga das horas
saudade arde em meus olhos
rubra em mim germina 
impiedosa desfolha-se

Floresce em mim
uma ternura infinda 
meu coração encantado 
por seus versos volta

Cansado aconchega-se
no calor do teu abraço 
em teu colo aquieta-se
no seu peito sussurra amor

Tu ouve minhas verdades
teu carinho sutil 
acalenta meus sonhos
dentro de ti adormeço calada

(Van Albuquerque)
05/03/09

quinta-feira, 5 de março de 2009

Mulher


Mulher

Nos caminhos da vida
mulher areja carinho

Floresce um deserto
feito primavera em flor

Trás nas mãos ternas
pétalas aromatizadas 

Esparrama no ar
seu perfume suave 
de amor...

(Van Albuquerque)
04/03/09

quarta-feira, 4 de março de 2009

Sabor dos meus sonhos


Sabor dos meus sonhos


Quando amanheço
tenho em minha boca
um gosto de noite
romanceada...
Poetizada de desejos
aromatizada de ti...

Tu és em meus lábios
sabor dos meus sonhos
umedecido de versos
que a ti recito...

(Van Albuquerque)
03/03/09

terça-feira, 3 de março de 2009

Poesia


Poesia


A caneta do poeta
grita em silêncio
arranha letras
um rascunho de tinta
desenha o papel

Calor arrepia
calafrio derrete
escorre escarlate
folhagem de letras
restos densos
de sua alma nua

Penumbra da noite
bruma tênue clareia
poeta orvalha palavras
desfolha versos
poesia tenra derrama
gotas de amor no papel

(Van Albuquerque)
02/03/09

domingo, 1 de março de 2009

Acróstico








P étala sedosa da candura em flor
A njo menina, sua aura reluz carinho e amor
U m Anjo desperto, num mundo mágico de sonhos
L údicos e enternecidos, brincam de faz de conta
A cordam na alma, antes do amanhecer

C oração doce, envolto em pureza angelical
R ico em carinho, nos oferece um ramalhete de amor
I ris profunda sem mácula, um mar de águas sinceras
S orriso maroto, nos lábios doa alegria
T erna e delicada sorri feliz, acalanta a dor nos corações
I rradia felicidade, distribuindo amor pelos caminhos
N a alma irrequieta e sensível
A caricia docemente, seus sonhos de meiga menina

(Van Albuquerque)
21/01/09


Paulinha para você, com todo meu carinho.
Meiga menina, meu coração ama você!

Bjo...

Solidão...


Solidão...


Coração entristecido
solitário, escondeu-se ...

Está represado
afogando-se em lágrimas
num poço sem fundo
dentro de mim...

(Van Albuquerque)
28/02/09

Infinda espera




Infinda espera


Infinda espera
ferina, angustia
meus dias sem sol
sem cor...

Olhos embaçados
sufocando lágrimas
engolindo soluços
chorando saudades...

Coração desalentado
escondeu-se
dentro de mim...

Represou-se solitário
num poço sem fundo
inundado de lágrimas

(Van Albuquerque)
28/02/09