segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Saudade


Saudade


Da noite quente
se fez madrugada idílica
permeada de desejos
saudade aparece
vigiando minha solidão

Sorrateira enleia-se
em meus sonhos
sombreia todo meu ser
de tristeza meus olhos
soluçam sem vida

Alma atada à saudade
doída esfarela-se
voa pela madrugada
chorando no vento
numa busca vã por ti

Volta triste e só
abraçada as lembranças
aconchega-se tímida
ao remanso poético
do meu coração

Saudade inquieta
empalidece minha voz
soletrando delira febril
na penumbra desenha
um poema de amor

(Van Albuquerque)
18/11/08

Nenhum comentário: