terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Poeta...


Poeta...



A noite chega, vagarosa
triste, inspira poesia...
O poeta divaga, solitário
das palavras, ouve o silêncio


Rabisca no papel, um verso
sua alma, faz-se berço
em suave melodia, embala-o
nina a poesia...


Na madrugada, o poeta insone
acorda a poesia, apaga estrelas
esconde a lua, acende o sol
a noite triste, se faz dia...


Os versos do poeta, voam
não longe dali
fascinam, um olhar sonhador
enternecem, uma alma solitária


O poeta faz serenata
encanta a noite, fecunda sonhos
arrouba, almas solitárias
aquece de amor, os corações...

(Van Albuquerque)
18/11/08


Poema dedicado ao amigo
e nobre poeta Ricardo G. Denunes

Nenhum comentário: