segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Ser criança


Ser criança


Ser criança
é ter ingenuidade
viver com inocência
brincar de faz de conta
num mundo diferente

Um mundo de descobertas
feito de brincadeiras
de momentos felizes
repleto de paz
sonhos e esperanças

Ser criança
é com um sorriso
saber encantar
enxugar uma lágrima
acalmar um coração triste

Saber amar e perdoar
ser forte sábio e humilde
acordar e espreguiçando
brincar de colorir o mundo
fantasiar e saber viver

Ser criança
é a lição diária na cartilha
que todo adulto
deveria aprender a ler
para sobreviver

( Van Albuquerque)
11/10/08

Sabor de amor


Sabor de amor


Gosto de sentir
o sabor de amor
no teu beijo
carinhoso e doce

Aroma sedutor
de seus lábios
afagando
delicadamente os meus

Suspirando palavras
seus lábios
compõem versos
um poema de amor

Seus lábios
quando me beijam
dizem EU te amo
com sabor de amor

(Van Albuquerque)
09/10/08

Versos excitados


Versos excitados


Meus dedos ousados, passeiam
por teu corpo viril...
Ondas de calor, nos invadindo
nossos corpos suados
a implodir, vapores cálidos


Meus lábios, rentes aos teus
vulneráveis, ao seu aroma
sorvem de ti, desejos...
A paixão nos consumindo
sinto explodir célere, o prazer...


Juntos, caminhamos no êxtase
calamos as palavras
perdemos a razão
seduzidos, pelos versos excitados
do poema, recitado por nós

(Van Albuquerque)
04/09/08




Gotas de desejos


Gotas de desejos


Meu corpo desnudo
anseia inquieto
pelo calor do teu...
Minha pele
arrepiada transpira
gotas cristalinas
de desejos!...

(Van Albuquerque)
04/10/08

Quando você vai embora


Quando você vai embora


Quando você vai embora
entristeço...
Minha voz chora!
Embargada de tristeza
não entoa, a nota da canção...
Meu coração, pulsa acelerado
desejando que você fique...
A mim, não satisfaz
ficar só com a lembrança
do teu gosto, sabor doce
de sua boca na minha...
Sentindo o calor, antes quente
agora, morno
de tuas carícias em minha pele...
Ouvindo ao longe, o rumor
de sua voz, dizendo que me ama...
Apetece-me, ter você aqui comigo
provando para sempre
do sabor de mim

(Van Albuquerque)
03/10/08


Beijo morno


Beijo morno


Minha boca delira
sonha acordada
com a suavidade da sua

Deseja sentir
o sabor atrevido
macio de quero mais

Do beijo morno
cobrindo de carícias
meus lábios

Minha boca
se despe
com suas delícias

Pedacinhos tenros
de adocicadas malícias
que me seduz

Faz minha língua
flutuar em silêncio
pelo céu da sua boca

(Van Albuquerque)
01/09/08

Contigo...


Contigo...


Vivo contigo
um amor verdadeiro, sincero...
Recebo de ti
doses diárias de carinho
acalanto suave, que me aquece
aconchega, minha alma.
Contigo...
saboreio a felicidade
em goles doces, que embriaga...
Felicidade
servida, em taça de ternura
que nunca fica vazia.

(Van Albuquerque)
01/09/08

Suave deleite


Suave deleite


A noite chega me acariciando
calma se aquieta em mim
sonho contigo

Minha alma em êxtase
suave deleite me invade
encanta minha pele

Meu corpo desperta lânguido
enleado em versos
se desmancha

Aconchego em mim
fragrância quente de teu cheiro
calor de seus carinhos

Teu sabor doce
contorna meus lábios
afaga sensível meus desejos

(Van Albuquerque)
30/09/08

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Um poema para ti


Um poema para ti


Quando o sol se apaga
e a noite melodiosa
chega devagar
sua ausência
consome minha alma

Na penumbra
me desnudo
visto-me de palavras
para escrever-te
um poema de amor

Amor escrito a distancia
com suave carinho
feito água
que molha e acaricia
a pele sem dor

O poema sou eu
as palavras escritas
é meu amor por ti
tecendo sonhos
ao sabor da saudade

(Van Albuquerque)
29/09/08

Eu te amo...


Eu te amo...


O versejar suave
de meu beijo
acaricia sua boca
dizendo Eu te amo...


Inquieto você ouve
de meus lábios
as palavras mudas
que minha alma
apaixonada recita


Doce poesia
inebria teus sentidos
encanta de amor
seu coração

(Van Albuquerque)
29/08/09

Sem ti


Sem ti


Sem ti
o tempo não passa...
Meu olhar orvalhado
te procura incansável
no silêncio audível
de suas carícias...
Sem ti
meu coração dói
bate descompassado...
A tristeza me espreita
audaz se aconchega
toma conta de mim!...

(Van Albuquerque)
28/09/08

Grito de saudade



Grito de saudade


Meu grito de saudade
nasce, com o dia...
Faz o sol chover,
molhar minha alma
ao meio-dia...
Faz o frio queimar
afagar, minha pele
no inverno frio...
Quando anoitece,
não dorme
vagueia na madrugada...
Feito fogo, brasa acesa
arde em silêncio
não se cala,
dentro de mim!...

(Van Albuquerque)
26/09/08

Desejo vermelho


Desejo vermelho


Frescor adocicado
fruta madura
amoras silvestres
fragrância sensual
aroma vermelho...


Me apetece, o gosto
sorvo sabor...
Líquido vermelho
derrete prazer
mancha, minha boca


Paixão devora
volúpia seduz
aveluda meus lábios ...
Minha boca saliva
saboreia desejos


Vontade insana
de meus lábios...
Tingir de vermelho
com meu beijo
sua boca macia ...

(Van Albuquerque)
23/09/08

Versos perfumados


Versos perfumados


Meus versos perfumados
desfolham suavemente
entre meus dedos


Gotejando palavras
cristalinas tingindo cores
tons pastéis multicor


Aroma poesia a flor da pele
derrama a essência
do nosso amor


Meu coração um canteiro
verseja ao vento
qual primavera em flor


Recita a ti
um poema florido
com cheiro de carinho


Em cada pétala
um beijo molhado
suave e doce de amor

(Van albuquerque)
22/09/08

Primavera de sabores


Primavera de sabores


O amor canta
uma melodia suave
em meu coração...
Nasce em mim
uma nova estação
primavera de sabores

Céu mais azul
sol, aquece minha alma
com doçura suave
flores desabrocham
leves e lânguidas
linda aquarela...

Dentro de mim
uma doce alquimia
florescendo aromas
desejos e anseios
misturam-se ao prazer
fragrância, de todas as cores...

(Van Albuquerque)
20/09/08

Mais uma vez...


Mais uma vez...


Hoje em meu olhar
A noite chegou,
Mais linda...
O brilho do luar
Doura meus cabelos,
Acaricia minha pele...

A noite chegou,
Arrebatadora
Parece querer me encantar...
Sinto o aroma inebriante
Do teu perfume no ar,
Uma sensação inquietante
Me invade e Toma
Conta de mim...

Um desejo,
Uma vontade insana
De mais uma vez te amar!...

(Van Albuquerque)
19/09/08

Homem sensível


Homem sensível


Homem gentil, amigo
romântico e sensível
nos gestos e palavras
aflora, o romantismo de outrora...


Em sua voz rouca
nasce, uma poesia sutil
melodia que encanta, minha alma
acalenta, meu coração


Olhar que me seduz
sorriso fascinante, inebria
mãos quentes, carícias suaves
beijo delicado, arrepia minha pele...


Em seus braços
entrego-me, sem medos
aconchegada a seus carinhos
dispo-me, de minhas incertezas


Homem maduro, surpreendente
um jeito atrevido, de menino
amante ideal, afaga a mulher
faz de mim, sua menina


Cúmplice de meus desejos
homem sensível, envolvente
eterno romântico
ainda manda flores...

(Van Albuquerque)
18/09/08

Sensível...



Sensível...


Sensível a lembrança
de seu cheiro
carícia de suas mãos


Floresce em mim
qual primavera em flor
pétalas...


Paixão devora
sedentas de desejos
pétalas avolumam-se ...


Insaciáveis
arrepiam minha pele
com saudades de nós

(Van Albuquerque)
15/09/08

Te amarei...


Te amarei...


Te amarei a distancia
inconfesso segredo meu
na solidão errante
dos descaminhos
que guiam nossos passos
Te amarei assim
tão perto e longe
no momento para sempre

(Van Albuquerque)
13/09/08

Desejos...


Desejos...


Alimento-me de ti
saboreando
degustando ávida
em minha boca
os desejos incontidos
de meus lábios....
Lembrança doce
suaviza a vontade
do seu beijo...

(Van albuquerque)
12/09/08

Sonho contigo...


Sonho contigo...


Quando adormeço
meu desejo por ti
caminha por minha pele
sussurra seu nome
sonho contigo...
Inebriada me dispo
aconchego-me em teu cheiro
visto seu abraço
confidencio a ti
toda a minha saudade...
Suas carícias me aquecem
seu beijo
umedece minha boca
sinto que és meu
eu sou tua

(Van Albuquerque)
10/09/08

Seu amor...



Seu amor...


Seu amor me cativou
aconchegou-se, dentro de mim
feito uma gota densa,
cristalina de orvalho...


Com suavidade,
afaga minha alma
acorda meus desejos
nutre e colore meus dias


Delicado, seu amor
está em meu coração
como uma gota de orvalho
na pétala sedosa, de uma flor...

(Van Albuquerque)
09/09/08


Saudades de ti


Saudades de ti


Com saudades de ti
meu pranto, escorre devagar
feito um rio silencioso
por minha face entristecida...
Meus olhos, te buscam calados
seguem os caminhos
por onde você já passou...

(Van Albuquerque)
05/09/08

Doce encanto


Doce encanto


Amar você é um encanto
que na cálida noite
desperta, acende a chama
insano, inflama
meus desejos incontidos...

A noite silenciosa
conspira, perco a razão
revivo nossos momentos
embevecida, ouço tua voz
doce melodia, um acalanto

Suas palavras sutis
despejam, murmúrios fugazes
deleite suave me afaga, acaricia
meu coração, na noite te busca
só quer voltar a te amar...

(Van Albuquerque)
04/09/008


Vestígios de seus beijos


Vestígios de seus beijos



Ansiedade louca
me devora, consome
arrepia minha pele
toma conta de mim


Minha boca
sedenta, saliva
os vestígios doces
de seus beijos


Engulo o gosto
quente dos desejos
saboreio ávida
minhas vontades

(Van Albuquerque)
30/08/08

Teu perfume...


Teu perfume...


Hoje a noite chegou, linda...
Trouxe com ela, o teu perfume
teu cheiro másculo
inebriando o meu ar...
Seu doce aroma me acaricia
convidando-me a te amar!

(Van Albuquerque)
18/08/08

Devaneio


Devaneio


O vento abraça-me
em minha boca
pousa teu nome
sussurro...


Viagem solitária
silenciosa
entrego-me
devaneio...


Momento meu
sussurros audíveis
por meu coração
apaixonado

(Van Albuquerque)
26/08/08

Alma de menina


Alma de menina


Minha alma de menina
esperando o amor chegar
despia seus desejos
brincando, fazia festa
aconchegada em mim
Na brisa fresca
que acariciava a tarde
sentiu o seu cheiro...
O olhar gracioso
carente de mimos
encontrou o brilho sincero
dos olhos teus
em silêncio, dialogaram
um sorriso maroto
em minha alma de menina
se acendeu...
Minha alma deixou
de ser menina
nasceu a mulher atrevida
aprendeu a amar
encantada, devaneia
vive contigo, sonhos de amor
sorri feliz, dentro de mim

(Van Albuquerque)
17/08/08




Beijo vermelho


Beijo vermelho


Corpo sedento
desejo vermelho intenso
colheita de prazeres
morangos tenros
orvalhados, suculentos...


Boca rubra degusta
licor inebriante
vermelho púrpura
aroma ensandecido
sabor de paixão, amor


Textura adocicada
saliva meus desejos
sorvo as gotas, sacio-me
no suco orvalhado
beijo vermelho, molhado...


Com gula ansiosa
mordo o pecado
nos lábios insanos
que beijam ardentemente
meu beijo doce, vermelho...

(Van Albuquerque)
16/08/08




Vestígios de ti


Vestígios de ti


Minhas mãos
despertam solitárias...
Tímidas, tateiam
a penumbra da noite...
Buscam com saudades
vestígios de ti
restos de felicidade
em minha pele, em mim!...

(Van Albuquerque)
15/08/08


Borboleta


Borboleta



Na quietude do entardecer
ouço o vento
sussurrando seu nome...
Ouso, embalar meus sonhos
alçar um vôo solitário
sobrevoar o imenso vazio de mim


No vôo, por meus sentimentos
descubro, uma borboleta infeliz
menina frágil, mulher apaixonada...
nas asas coloridas, cores suaves
meus segredos envoltos
na aquarela de suas asas multicor


Serena, pousou em minha alma
nas pétalas de meu coração...
Sedenta, suga o orvalho
de minhas lágrimas
enternecida, beija o pólen
de minha saudade


Deposito em suas asas coloridas
meu amor por ti...
Afoita, agora flutua no céu
num vôo manso
buscando minha felicidade
entregará a você meu destino

(Van Albuquerque)
14/08/08


Sedenta


Sedenta


Sedenta
num mar de volúpias
ancoro meus desejos
em sua boca


Recebo de teus lábios
seu néctar inebriante
numa profusão de gotas
doces e densas


Sacio minha sede
com seus beijos...
Em tua boca deságuo
todos os meus desejos!

(Van Albuquerque)
13/08/08

Êxtase


Êxtase


Noite fria de inverno
suas mãos silenciosas
e persistentes me acariciam
encontro no brilho sedento
de teu olhar, sedução...

Seu jeito atrevido de amar
encontra o caminho do prazer
provoca em mim, suspiros
lasciva, embrenho-me
em teu corpo nu...

Êxtase, cheiro de pele
flui o aroma suave de amor
as carícias ousadas
aguçam a vontade voraz
de nossos desejos contidos

(Van Albuquerque)
13/08/08


Quero sentir você...


Quero sentir você...


Quero sentir em mim
o calor de sua respiração
ofegando de desejos

Ouvir tua voz cálida
sussurrando em meu ouvido
seduzindo minha razão...

Sua boca insana e úmida
tocando e umedecendo
meu corpo, minha pele nua

Seus lábios ávidos
degustando com prazer
meu gosto, sabor de meu amor

Quero sentir teu corpo
em êxtase, inebriado
colado ao meu...

Quero sentir você
delirando, ardendo de desejos
se perdendo em mim!

(Van Albuquerque)
11/08/08

Teu carinho


Teu carinho


Teu carinho
chega suave, me completa.
Pinga em gotas cristalinas
de compreensão e amor...
No amanhecer
paciente, orvalha
rega com doçura
a aridez do meu coração.
Teu carinho
inunda-me de amor...
Inunda-me de ti!

(Van Albuquerque)
10/08/08

Ser pai


Ser pai


Ser pai é ser sábio conselheiro
construindo valores
amigo e companheiro inseparável
herói derrotando os temores
indicando na vida os caminhos.
Ser pai é ser artista, palhaço
um menino arteiro responsável
mesmo cansado, se doa
ri e brinca, conta histórias...
Ser pai é ser participação
amor incondicional no coração
no crescimento diário dos filhos
um eterno aprendiz...

(Van Albuquerque)
09/08/08

Meu olhar esmaecido



Meu olhar esmaecido


Meu olhar esmaecido
perde-se em meu coração
embaçado pelas lágrimas
revive as lembranças
saudoso, empalidece dentro
de minha alma entristecida...
Minha voz soluçando
sussurra ao vento um poema
enamorado de saudades...
Sinta em ti meus versos
delicados como a brisa
acariciam seu rosto, seus cabelos...
Levam a ti meu cheiro
perfume suave de minha pele
um beijo meu, afagando sua boca
sedoso, feito as pétalas das flores
numa manhã primaveril.

(Van Albuquerque)
07/08/08

Seu beijo


Seu beijo



Meus lábios, fascinados
se aveludam fecundos
sendo torturados suavemente
por seu beijo exigente...
No ritual de seu beijo
lento, intenso e sedutor
sinto aroma de frutos silvestres
perfume de flores, desejos...
Recebo de sua boca
seu beijo insano
essência de amor e paixão
adoça meus lábios
num acalanto poético
sacia minha fome, desejos...

(Van Albuquerque)
06/08/08

Vem, abraça-me...


Vem, abraça-me...


Vem, abraça-me
quero me sentir uma criança
em seus braços, ninar meus medos
minhas carências...


Em seu abraço quero perder-me
deslizar meu corpo...
Fazer caminhos sem retorno
no tempo, eternizar nossos momentos


Fecho os meus olhos
em silêncio, sem nada dizer
te aguardo calma, lânguida
sinto sede de amar você...


Desejo, seu abraço me envolvendo
sua boca, úmida na minha
transbordando todo o seu amor
em meus lábios, em mim...

(Van Albuquerque)
05/08/08

O meu amor só teu...


O meu amor só teu ...


O meu amor só teu
de longe sentia
na delicadeza de seu toque
o cheiro de seu perfume
seu calor, afagando minha alma
no gosto de seu beijo
o sal de sua pele...
Hoje, o meu amor só teu
desiludiu-se...
Não escreve mais poemas...
Sonhando contigo
embala no peito a saudade
invadido pelo ardor
de sua ausência...
Solitário e triste
perde-se no imenso vazio
de uma solidão lúcida...
Soluça, chora baixinho
dentro de mim, entoa
uma canção, sem fim...

(Van Albuquerque )
03/08/08

Meus versos guardados


Meus versos guardados


No aconchego de meu peito
impressos em minha alma
tenho versos guardados
pequenos fragmentos meus
doces segredos que não digo

Nas pétalas sedosas
de meus versos guardados
desfolho as palavras
ouço, a suave canção das letras
acalentando meus sonhos

Em meus versos guardados
letras amorosas, juntam-se
formam palavras carinhosas
murmurando seu nome
sussurram, o meu amor por ti

(Van Albuquerque)
02/08/08)